Referências

ANASTASIOU, L.G.C.; ALVES, L.P. Processos de Ensinagem na Universidade: Pressupostos para as estratégias de trabalha em aula. 10. ed. Joinville: Univille, 2015.

Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996.Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 21 dez. 1996. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03 leis/L9394.htm> Acesso em: 01/11/2017.

Ministério da Educação. Resolução CNE/CEB nº 6 de 20 de setembro de 2012. Disponível em:< portal.mec.gov.br/conaes-comissao-nacional-de-avaliacao-da-educacao-superior/323-secretarias-112877938/orgaos-vinculados-82187207/17417-ceb-2012>

DEPRESBITERIS, Léa. Avaliando competência na escola de alguns ou na escola de todos? Boletim Técnico do Senac. Rio de Janeiro, v.27, n.3, set/dez. 2001

DEPRESBITERIS, Léa. Avaliação Educacional em três atos. 4.ed. São Paulo: Senac, 2017.

DEPRESBITERIS, L.; TAVARES, M. R. Diversificar é preciso…: instrumentos e técnicas de avaliação de aprendizagem. São Paulo: Ed. Senac, 2009.

HAYDT, Regina Cazaux. Avaliação do processo ensino-aprendizagem. 6. ed. São Paulo: Ática, 2008.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da aprendizagem escolar: estudos e proposições.18 ed.São Paulo: Cortez, 2006.

PERRENOUD, Philippe. Avaliação: da excelência à regulação das aprendizagens: entre duas lógicas. Porto Alegre: Artmed, 1999.

SANTOS, Jurandir. Educação Profissional e práticas de avaliação. São Paulo: Editora Senac, 2010.